quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Penso muito, falo pouco







Situações difíceis, problemas e neuroses todo ser humano tem. Mas espalhar aos quatro cantos a gravidade do problema não vai resolvê-lo. A vida da outra pessoa sempre parece mais fácil. É tão simples sorrir e fingir que está tudo bem.

Eu tenho problemas que às vezes parecem insolucionáveis. Algumas pessoas dizem que compartilhá-los com amigos, familiares ou especialistas alivia a dor e preocupação, talvez seja verdade. Todavia nunca fui boa em desabafar ou contar minhas lamúrias. Sinto-me perturbando a outra pessoa, que talvez até pense "Lá vem essa menina problemática! Como se já não bastassem os meus problemas, ela quer que eu a escute". 

Acho que nunca fui de compartilhar minhas dores e lamentações com ninguém, entretanto deve ser realmente bem mais fácil poder descarregar o peso, mesmo que por alguns minutos, em outra pessoa. Não é que eu não confie nas pessoas do meu convívio social, porém é como uma trava, empaca e não sai. 

Pessoas caladas geralmente tem mentes agitadas, pois absorvem todos os acontecimentos ao seu redor. Talvez eu tenha medo de expressar qualquer tipo de sentimento, pois permite que as pessoas me vejam vulnerável. Não falo para parecer forte, mas como paradoxo demonstra que sou fraca e insegura. Sempre preferi desabafar por meio da escrita, o velho papel e a velha caneta sempre conseguiram extrair muito mais do que qualquer psicólogo ou terapeuta.

Tamires Jacinto

0 comentários:

Postar um comentário